Arquivo de Maio, 2016

II OriTrail/Rogaine Jogos do Sado

0

 O II OriTrail/Rogaine Jogos do Sado, que se realizou no passado dia 28 de Maio, foi organizado pela ADFA (Associação de Deficientes das Forças Armadas), Delegação de Évora e pela Federação Portuguesa de Orientação, em parceria com Câmara Municipal de Setúbal (CMS).

Integrando a programação de Setúbal Cidade Europeia de Desporto 2016, tratou-se da segunda prova realizada em solo Nacional a contar para a Taça de Portugal de OriTrail/Rogaine.

O local escolhido foi o Parque Natural da Arrábida, localizado na margem norte do estuário do rio Sado, com cenários irreais, com uma fauna bastante diversificada e uma flora mediterrânica, tudo isto proporcionou aos amantes da atividade física sensações, a recordar mais tarde.

Estiveram à partida 136 atletas, constituindo 41 equipas Nacionais e 2 da vizinha Espanha, distribuídas pelos vários escalões de ambos os sexos e com idades compreendidas entre os 16 e 74 anos de idade.

Realçar a participação da selecção Nacional de Ori-BTT, que integrou a participação no OriTrail/Rogaine Jogos do Sado, no plano de preparação para o Campeonato do Mundo de Elites e Juniores e Campeonato da Europa de Jovens, que terá lugar de 23 a 31 de Julho.

Esta modalidade desportiva que, pelo primeiro ano, faz parte integrante dos Quadros Competitivos Nacionais de Orientação, da Federação Portuguesa de Orientação, conta com 6 prova no seu calendário Nacional.

A prova, socorre-se das técnicas de orientação para definir a estratégia de cada equipa, onde não existe um percurso imposto pela organização mas sim um conjunto de pontos (valorizados) a visitar, saindo vencedora a equipa que obtiver mais pontos, sendo o tempo considerado apenas para o desempate, pois a partida é efectuada em massa.

A uma hora da partida os atletas ouvem um briefing em local calmo e só depois se deslocam para o local de partida.

Aí concentrados e 15’ antes da hora de partida é distribuído a cada equipa o mapa. O mapa é extraído da carta militar com algumas atualizações de caminhos, com uma escala de 1/25000 e com todos os postos de controlo (CP) e sua descrição, informação útil que favorece o delinear da respetiva estratégia.

A distância máxima dos percursos rondava os 42 Km, para concretizar os 31 CPs que existiam no mapa, com uma pontuação máxima de 171 pts e um desnível aproximado de 1340 m, com a cota mais alta a 390 m e a mais baixa a 3 m.

Na eleição do percurso por parte de cada equipa, estas deverão ter sempre presentes determinadas variáveis, as que são intrínsecas ao grupo, daí a existência de vários escalões e as que o mapa disponibiliza para a definição do percurso a eleger e o tempo disponível para a sua concretização, que nesta prova foi de 4 horas

Os fatores intrínsecos ao grupo são a condição física do conjunto dos seus elementos, associada a uma boa leitura do mapa no momento da decisão de escolha dos pontos a visitar, os condicionalismos psicofísicos a gerir no decorrer do percurso, a hidratação, a alimentação ao longo da prova e estes últimos são da responsabilidade do atleta (grupo), embora nestas provas de OriTrail/Rogaine haja pontos de abastecimento, assinalados no mapa.

Nos momentos em que as equipas delineavam as suas estratégicas, S. Pedro achou por bem abençoá-las, mas no desenrolar da prova o tempo foi sempre amigo, com a maioria dos caminhos/trilhos secos e de fácil progressão. A dificuldade apenas surge quando há necessidade de conjugar a corrida com a leitura do mapa e escolher o melhor itinerário para se alcançar o posto de controlo de difícil acesso e mais pontuado, levando o grupo a progredir por terreno aberto, sem trilho e é nestas estratégias que determinadas equipas conseguem fazer a diferença no resultado final.

A alegria irradiada pelos atletas ao concluírem a prova, demonstrou que foi do seu agrado e as estratégias escolhidas por cada grupo foi a melhor, pois nenhuma equipa excedeu o tempo máximo.

Pode encontrar os resultados nos links abaixo:

Results_Percursos

Results_Escalões

CAMPEONATO IBÉRICO MASCULINO BTT

0

Nos dias 7 e 8 de Maio tiveram lugar os Campeonatos Ibéricos Masculinos de Distância Média e Longa em Ori-BTT, numa região onde a Pêra Rocha é Rainha.

O local escolhido para a realização das etapas, foi na zona dos concelhos do Cadaval (Quinta de Santo António) e Torres Vedras (Maxial).

Os clubes, ATV – Académico de Torres Vedras e CPOC – Clube Português de Orientação e Corrida, foram os organizadores, contando com o apoio da Federação Portuguesa de Orientação, das Câmaras de Cadaval e Torres Vedras e das juntas de Maxial e Peral.

A ADFA – Associação de Deficientes das Forças Armadas fez-se representar, por 10 atletas.

O sábado amanheceu com chuva a potes e estas condições atmosféricas mantiveram-se até ao final do dia, proporcionando aos atletas desfrutarem de toda a beleza dos trilhos e caminhos que mais se pareciam com ribeiros transformando as suas máquinas à Hidrobike, por força da quantidade de água que se fez sentir no corpo e nos trilhos independentemente do seu desnível. Realça-se que todos os atletas participantes lograram cumprir os objetivos que o mapa e as condições atmosféricas lhes lançaram sem incidentes.

Os atletas da ADFA, no Campeonato Ibérico Masculino de Distância Média, alcançaram as seguintes classificações e título:

Luís Sousa, obteve o título de Campeão Ibérico de Distancia Média em H50; Alexandre Reis, 3º em H40; Jorge Artur, 3º em H60.

Concluída a primeira etapa deste Campeonato Ibérico a Federação Portuguesa de Orientação homenageou os atletas que ficaram nos três primeiros lugares dos respectivos escalões do Ranking Taça de Portugal de Orientação em BTT, os três primeiros clubes e os atletas que representaram as Seleções Nacionais, em provas internacionais, na época de 2015.

A ADFA alcançou o 3º lugar no Ranking dos clubes, em Ori-BTT.

Os atletas da ADFA homenageados, no Ranking dos respectivos escalões e representação das Seleções foram:

Alice Silva, 1ª em D40; Mário Guterres por representar a Seleção no World Cup BTT, que decorreu na Hungria e no Campeonatos da Europa; Margarida Rocha por representar a Seleção no Campeonatos da Europa e pelo 1º lugar, em D20; Afonso Barreiros por representar a Seleção no Campeonatos da Europa; Sandra Rodrigues, pelo 2º lugar, em D21A; Crispim Júnior, pelo 3º lugar, em H60.

No domingo teve lugar a segunda e derradeira etapa, em Maxial, do Campeonato Ibérico com a Distância Longa, neste dia, o astro rei mostrou-se aos atletas e a chuva escondeu-se, mas os caminhos e trilhos encontravam-se bastante encharcados.

Os atletas da ADFA, que no Campeonato Ibérico Masculino de Distância Longa, alcançaram as seguintes classificações e títulos:

Afonso Barreiros 3º – H20;

Alexandre Reis 3º – H40;

Luís Sousa 3º – H50;

Jorge Artur Campeão Ibérico – H 60.

No troféu ORI-BTT ATV – CPOC, cuja classificação resulta do somatório de pontos das duas etapas, os atletas da ADFA com lugar no pódio foram:

Ana Rocha 1ª em D20; Sandra Rodrigues 1ª em D21ª; Alexandre Reis 2º em H40; Luís Sousa 2º em H50; Jorge Artur 3º em H60

ADFA ORGANIZOU CAMPEONATOS LONGA E SPRINT

0

Coube à Associação dos Deficientes das Forças Armadas, Delegação de Évora (ADFA), em colaboração com a Federação Portuguesa de Orientação (FPO) e com o apoio da Câmara Municipal de Palmela a responsabilidade de organizar os Campeonatos Nacionais de Distância Longa e Sprint a contar para a Taça de Portugal Vitális de Orientação Pedestre e a prova de Pré’O’ a contar para a Taça Invacare de Orientação de Precisão.

O local escolhido pela ADFA foram terrenos do município de Palmela, com o Campeonato Nacional de Distância Longa (CNDL) a ter lugar na Marateca, a prova de Pré’O’ em Vale de Barris e o Campeonato Nacional de Sprint (CNS) na Vila de Palmela.

Os campeonatos Nacionais, que decorreram nos dias 14 e 15 de maio, visitaram os terrenos onde, em maio de 2014, se realizaram os Campeonatos Europeus de Orientação Pedestre EOC Tour.

Os melhores atletas, do escalão elite do Ranking da Taça de Portugal, estiveram presentes nestes Campeonatos, bem como os dos vários escalões que abrangem atletas dos 10 aos 75 anos de idade, perfazerem 500 atletas, um número bonito de participação, em disputa dos respectivos títulos individuais e por equipas.

A etapa de CNDL desenrolou-se na Marateca, onde as condições atmosféricas colaboraram com os atletas e com a organização, com uma manhã amena, desfrutando os participantes de um mapa desafiante onde cada um teve que gerir o seu esforço, escolher as melhores opções, para conseguir o melhor tempo no seu percurso.

Palmela

A festa da Orientação continuou pela tarde adentro, em Vale de Barris, com a Orientação de Precisão, naquele que foi o “I Pré’O’ Invacare de Vale de Barris”.

Esta prova foi composta por um percurso formal com cerco de 1,3 Km de extensão com 20 pontos de controlo, planeados em 18 pontos de decisão, sendo 3 pontos de controlo de formato A, traçado de percurso de nível Elite ou seja, em todos os controlos, há possibilidade de resposta Zero, com um tempo máximo de prova 100 minutos. Antecedia esta prova uma estação com Ponto Cronometrado com 6 balizas no terreno e 3 desafios.

Nesta prova participaram atletas da classe Aberta e Paralímpicos.

Regressando à Orientação Pedestre e já no domingo, dia 15 de maio, na bela Vila de Palmela foi o palco escolhido para o campeonato Nacional de Sprint. Sendo uma vila onde se ergue um castelo com arruamentos bem definidos, caminhos que constituem autênticos labirintos o que contribuiu para que o mapa oferecesse dificuldades na navegação e onde a rapidez das decisões contribuíam para um melhor desempenho, foram estes os desideratos que aos atletas foi proposto para alcançarem os títulos em disputa.

Palmela 3

A ADFA agradece a presença de todos os participantes, esperando que os desafios apresentados tenham sido do agrado de todos

Palmela 4

Voltar ao Topo