O II OriTrail/Rogaine Jogos do Sado, que se realizou no passado dia 28 de Maio, foi organizado pela ADFA (Associação de Deficientes das Forças Armadas), Delegação de Évora e pela Federação Portuguesa de Orientação, em parceria com Câmara Municipal de Setúbal (CMS).

Integrando a programação de Setúbal Cidade Europeia de Desporto 2016, tratou-se da segunda prova realizada em solo Nacional a contar para a Taça de Portugal de OriTrail/Rogaine.

O local escolhido foi o Parque Natural da Arrábida, localizado na margem norte do estuário do rio Sado, com cenários irreais, com uma fauna bastante diversificada e uma flora mediterrânica, tudo isto proporcionou aos amantes da atividade física sensações, a recordar mais tarde.

Estiveram à partida 136 atletas, constituindo 41 equipas Nacionais e 2 da vizinha Espanha, distribuídas pelos vários escalões de ambos os sexos e com idades compreendidas entre os 16 e 74 anos de idade.

Realçar a participação da selecção Nacional de Ori-BTT, que integrou a participação no OriTrail/Rogaine Jogos do Sado, no plano de preparação para o Campeonato do Mundo de Elites e Juniores e Campeonato da Europa de Jovens, que terá lugar de 23 a 31 de Julho.

Esta modalidade desportiva que, pelo primeiro ano, faz parte integrante dos Quadros Competitivos Nacionais de Orientação, da Federação Portuguesa de Orientação, conta com 6 prova no seu calendário Nacional.

A prova, socorre-se das técnicas de orientação para definir a estratégia de cada equipa, onde não existe um percurso imposto pela organização mas sim um conjunto de pontos (valorizados) a visitar, saindo vencedora a equipa que obtiver mais pontos, sendo o tempo considerado apenas para o desempate, pois a partida é efectuada em massa.

A uma hora da partida os atletas ouvem um briefing em local calmo e só depois se deslocam para o local de partida.

Aí concentrados e 15’ antes da hora de partida é distribuído a cada equipa o mapa. O mapa é extraído da carta militar com algumas atualizações de caminhos, com uma escala de 1/25000 e com todos os postos de controlo (CP) e sua descrição, informação útil que favorece o delinear da respetiva estratégia.

A distância máxima dos percursos rondava os 42 Km, para concretizar os 31 CPs que existiam no mapa, com uma pontuação máxima de 171 pts e um desnível aproximado de 1340 m, com a cota mais alta a 390 m e a mais baixa a 3 m.

Na eleição do percurso por parte de cada equipa, estas deverão ter sempre presentes determinadas variáveis, as que são intrínsecas ao grupo, daí a existência de vários escalões e as que o mapa disponibiliza para a definição do percurso a eleger e o tempo disponível para a sua concretização, que nesta prova foi de 4 horas

Os fatores intrínsecos ao grupo são a condição física do conjunto dos seus elementos, associada a uma boa leitura do mapa no momento da decisão de escolha dos pontos a visitar, os condicionalismos psicofísicos a gerir no decorrer do percurso, a hidratação, a alimentação ao longo da prova e estes últimos são da responsabilidade do atleta (grupo), embora nestas provas de OriTrail/Rogaine haja pontos de abastecimento, assinalados no mapa.

Nos momentos em que as equipas delineavam as suas estratégicas, S. Pedro achou por bem abençoá-las, mas no desenrolar da prova o tempo foi sempre amigo, com a maioria dos caminhos/trilhos secos e de fácil progressão. A dificuldade apenas surge quando há necessidade de conjugar a corrida com a leitura do mapa e escolher o melhor itinerário para se alcançar o posto de controlo de difícil acesso e mais pontuado, levando o grupo a progredir por terreno aberto, sem trilho e é nestas estratégias que determinadas equipas conseguem fazer a diferença no resultado final.

A alegria irradiada pelos atletas ao concluírem a prova, demonstrou que foi do seu agrado e as estratégias escolhidas por cada grupo foi a melhor, pois nenhuma equipa excedeu o tempo máximo.

Pode encontrar os resultados nos links abaixo:

Results_Percursos

Results_Escalões